Honoré de Balzac – O Lírio do Vale

SOBRE A IRRESISTIBILIDADE DO SENTIMENTO (REVISITED)

Uma lágrima brilhou nos olhos de Henriette.
—E, caro conde, se por acaso uma mulher fosse involuntariamente submetida a algum sentimento alheio aos que a sociedade lhe impõe, confesse que quanto mais esse sentimento fosse irresistível, mais ela seria virtuosa ao sufocá-lo, ao se sacrificar pelos filhos, pelo marido. Aliás, essa teoria não é aplicável a mim, que infelizmente ofereço um exemplo do contrário, nem a você, a quem jamais se aplicará.
A mão úmida e escaldante encostou-se à minha e se apoiou sobre ela, silente.

© Honoré de Balzac – O Lírio do Vale (excerto) – L&PM Pocket

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s